October 27, 2016

Sobre a CIRES

A Companhia Industrial de Resinas Sintéticas, CIRES, Lda. é uma empresa do sector químico especializada no fabrico de polímeros vinílicos. Pioneira no fabrico de polímeros termoplásticos em Portugal, a empresa distingue-se pelo elevado padrão de qualidade e nível de desempenho dos produtos fabricados, suportado em contínuo desenvolvimento tecnológico e num serviço exclusivo de assistência técnica a clientes.

A empresa consolidou uma posição liderante no mercado ibérico apresentando uma gama diversificada de resinas de suspensão, commodities, utilizadas em múltiplos sectores industriais com relevância no segmento da construção civil, a par de uma gama de especialidades de resinas de S-PVC de elevada resiliência e um portfólio de resinas de E-PVC para plastisois, em especial para aplicações em revestimentos designadamente no sector automóvel.

A oferta de especialidades de matérias-primas termoplásticas é completada através das suas associadas de compounding, estando a empresa presente como fornecedor acreditado em todos os segmentos de aplicação de termoplásticos como embalagem, indústria automóvel, cabos elétricos, tubagens e acessórios, couro sintético, painéis e perfis de portadas e janelas, etc.

O processo de melhoria contínua da competitividade industrial e comercial é estrutural no desenvolvimento da empresa visando a melhoria da performance dos produtos, o aumento da competitividade dos fabricos, a melhoria da eficiência energética e ambiental, e o nível de segurança das operações.

A CIRES é uma empresa da SHIN-ETSU CHEMICAL, líder mundial do setor com uma capacidade de fabrico da ordem das 4 milhões de toneladas, cerca de 10% do consumo global mundial. A fábrica em Estarreja é uma unidade moderna e versátil, com elevada eficiência industrial.

A empresa promoveu o reconhecimento externo dos seus processos de gestão por entidades independentes acreditadas em conformidade com padrões internacionais. Detém a Certificação de Qualidade ISO 9000 desde 1993, a Certificação Ambiental ISO 14001 desde 2002 e a Certificação de Segurança e Saúde Ocupacional OHSAS 18001 desde 2008.

Com quadros muito qualificados e equipas altamente especializadas a empresa dispõe de um fator determinante para sustentar e prosseguir o seu desenvolvimento.

A matéria-prima é produzida na fábrica da SHIN-ETSU PVC B.V. na Holanda e recebida no Porto de Aveiro em instalações portuárias próprias de receção e armazenagem, donde é transferida por pipeline para a Fábrica em Estarreja.

No desenvolvimento da empresa destaca-se o sentido de responsabilidade social e ambiental, conciliando o seu crescimento económico com os princípios do desenvolvimento sustentável e o aprofundamento da ligação à comunidade local assegurando na região um volume de emprego estável e qualificado e a contratação local de serviços industriais complementares.

HISTÓRIAL DA CIRES

A CIRES foi fundada em 1960 como um empreendimento conjunto entre empresas portuguesas e duas empresas industriais japonesas, constituindo a primeira joint-venture industrial luso-japonesa da Europa. Em Portugal foi pioneira no fabrico de materiais termoplásticos destacando-se pela superior qualidade dos fabricos e pelo apoio e assistência técnica que proporciona aos seus clientes. Estes fatores constituíram, no período inicial do desenvolvimento da indústria transformadora de plásticos, a principal alavanca do progressivo crescimento dos consumos de PVC, tendo sido muito importantes na consolidação e desenvolvimento da atividade da CIRES.

A Empresa tem procedido a constante e sucessiva atualização das suas instalações industriais, dispondo de uma das mais modernas e competitivas unidades industriais da Europa, apetrechada com o state of the art da tecnologia assim assegurando elevados níveis de performance em termos de produtividade, de competitividade e de garantia de qualidade dos fabricos.

Em 14 de Agosto de 2009, o acionista fundador Shin-Etsu Chemical Co., Ltd. assumiu a totalidade do capital da CIRES, estando a Empresa atualmente integrada no Grupo Shin-Etsu, o maior produtor mundial de PVC.

Na evolução da CIRES é relevante destacar o seu desenvolvimento a jusante com a integração no negócio de empresas transformadoras de PVC, designadamente a PREVINIL, sediada em Alverca, e a CYGSA, sediada em Mendavia (Logroño), empresas com fabricos de compostos de PVC e outros termoplásticos, para todas as aplicações.

Estas aquisições consolidaram a estratégia de desenvolvimento da CIRES e contribuíram para o desenvolvimento dos mercados de aplicações de PVC. Na área fabril em Estarreja, a CIRES criou uma empresa de cogeração de energia eléctrica e vapor, a BAMISO, em operação desde 1994, assim assegurando condições mais favoráveis de produção de utilidades.

Desde 1993 que a CIRES detém, no âmbito do Sistema Português da Qualidade, o estatuto de Empresa Certificada, no que se refere ao sistema da qualidade implementado na produção e comercialização de PVC, de acordo com a norma NP EN ISO 9002, tendo, em Dezembro de 1999, concluído a extensão às atividades de desenvolvimento de produtos, passando desde então a estar certificada de acordo com a norma NP EN ISO 9001

O sistema de gestão ambiental da CIRES foi inicialmente definido, em 1996, com referência à norma BS 7750, tendo, a partir de 1999, sido iniciadas as atividades para o reformular e adaptar à norma NP EN ISO 14001. Em 20 de Novembro de 2002, a CIRES obteve a certificação do seu sistema de gestão ambiental implementado no desenvolvimento, produção e comercialização de resinas de PVC, tendo a transição para a norma NP EN ISO 14001 sido obtida em 6 de Janeiro de 2006

No desenvolvimento da sua política da segurança, a CIRES tem vindo a adaptar as suas práticas e organização funcional os requisitos de um sistema da segurança de acordo com os princípios preconizados pela norma ISO 45001 e pelo Decreto-Lei nº 150/2015, tendo adotado inicialmente a norma OHSAS 18001 e agora a ISO 45001 como referência do seu sistema de gestão da segurança, higiene e saúde. A CIRES obteve a certificação deste sistema em 14 de Novembro de 2008

É política da CIRES assumir como sua responsabilidade a redução, prevenção e minimização dos impactes negativos resultantes da laboração. Assim, a Empresa obriga-se a cumprir as exigências reguladoras da sua atividades e estabelece também outros objetivos e especificações internas, com frequência mais exigentes do que os legalmente impostos. Neste espírito, a Empresa aderiu ao programa da Indústria Química Atuação Responsávelâ (ver em https://www.apquimica.pt/pt/atuacao-responsavel/sobre) e, em particular ao Compromisso Voluntário Vinyl Plus , um programa subscrito por toda a fileira europeia do PVC que assenta na experiência de 10 anos do Vinyl 2010, identificando os desafios da presente década necessários a um desenvolvimento sustentado dos produtos de base PVC.

Ainda neste âmbito, a CIRES aderiu ao programa Operação Clean Sweep® (OCS) (ver em https://www.opcleansweep.org/) que consiste num programa internacional projetado com vista a evitar a disseminação de grânulos e partículas de plástico para o meio ambiente. A Operação Clean Sweep® (OCS) visa auxiliar cada elo na indústria de plásticos, fabricantes de resinas, transportadores e processadores de plásticos a implementar boas práticas de manuseio com grânulos e partículas de materiais plásticos e manutenção de sites industriais.

 

TECNOLOGIAS DE FABRICO

A CIRES fabrica resinas de PVC do tipo suspensão (S-PVC) e do tipo emulsão para pastas (E-PVC).

No fabrico das resinas de S-PVC, a CIRES aplica a tecnologia da Shin-Etsu Chemical Co., Ltd., uma das mais credenciadas empresas a nível mundial na produção de PVC.

A CIRES dispõe assim de uma tecnologia que permite atingir elevados níveis de desempenho, nomeadamente pelos níveis reduzidos de emissão de VCM, devido à operação em sistema fechado (closed reactor technology), que é a MTD para o fabrico de S-PVC (ver em https://eippcb.jrc.ec.europa.eu/reference/BREF/pol_bref_0807.pdf)

Para tal, foram desenvolvidos sistemas que permitem a utilização da operação fechada em reatores de grande capacidade, nomeadamente: sistema de prevenção de depósitos nas paredes dos reatores, instrumentação de controlo e medida adequada, sistema de paragem da reação em caso de emergência e gestão do processo de polimerização por meio de computador, especialmente a dos encravamentos contra manobras indevidas.

Todas as possíveis fontes de poluição atmosférica acima dos limites admissíveis foram eliminadas, o que também explica o elevado rendimento deste processo.

No fabrico das resinas de E-PVC, a CIRES utiliza tecnologia própria, cujo desenvolvimento e atualização são assegurados por projetos específicos de I&DT, nomeadamente para melhoria das propriedades das resinas e da produtividade do processo, bem como para o desenvolvimento de novos grades.

No âmbito do Programa Vinyl 2010, a CIRES procedeu à implementação da MTD também para o fabrico deste produto, operando a partir de 2006 com recurso a esta tecnologia, que inclui a utilização de uma unidade de stripping de latex, para minimização das emissões atmosféricas de VCM associadas ao processo (ver em https://eippcb.jrc.ec.europa.eu/reference/BREF/pol_bref_0807.pdf)

 

MISSÃO, VISÃO E VALORES

Missão

Assegurar a continuidade do negócio e o desenvolvimento harmonioso da respetiva fileira industrial no respeito dos princípios da responsabilidade social e do desenvolvimento sustentável, satisfazendo as expectativas das partes interessadas, nomeadamente S/E, clientes, colaboradores e comunidade local.

Visão

Ser líder na produção e comercialização de resinas de PVC no Mercado Ibérico, desenvolvendo e consolidando quotas de mercado noutros países, como parte integrante do pilar europeu da estratégia de desenvolvimento da Shin-Etsu.

Valores

Profissionalismo

Atuar sistematicamente com seriedade e rigor.

Credibilidade

Adoptar padrões ambientais, de segurança, de qualidade e de responsabilidade social.

Ética

Assumir uma conduta de lealdade, integridade e honestidade, e de transparência dos processos e da organização.

Para mais informações relativamente a estas matérias, a CIRES disponibiliza o seu código de ética para consulta

POLÍTICA

No âmbito das atividades de desenvolvimento, produção e comercialização de resinas de PVC, realizadas na área industrial da CIRES em Estarreja e das atividades de logística de VCM realizadas na Instalação Portuária de Receção (IPR) no Porto de Aveiro, bem como da atividade de produção de utilidades industriais e de energia elétrica da sua subsidiária BAMISO, o Conselho de Gerência da CIRES, visando a adequação deste documento à missão e contexto da organização e à natureza específica dos seus riscos e oportunidades, compromete-se com a publicação de 3 documentos que podem ser consultados na seção “Downloads e links úteis”.

COMPROMETIMENTO DA GESTÃO

O compromisso da Gestão da CIRES na implementação e melhoria do sistema de gestão é evidenciado com a definição dos objetivos estratégicos, a aprovação das políticas, bem como pela definição e acompanhamento dos objetivos operacionais e dos processos, e a condução das revisões, a par da disponibilização dos recursos necessários.

A implementação de metodologias sistemáticas de análise de risco do negócio (Business Impact Analysis – BIA) permitiu uma sistematização da abordagem feita em termos de gestão das operações na empresa.

Riscos e aspetos ambientais das atividades

A CIRES tem identificado os aspetos ambientais e os riscos decorrentes das suas atividades e, seguindo uma metodologia adequada, avalia a sua gravidade e significância.

A identificação dos riscos e dos aspetos ambientais é feita com referência ao cumprimento das políticas, dos requisitos legais e regulamentares e dos acordos voluntários subscritos. Para a avaliação da significância destes aspetos e dos impactes associados, estão definidos critérios de significância adaptados à natureza das atividades da CIRES e da BAMISO.

A identificação de perigos e avaliação de riscos abrange as atividades normais ou rotineiras e as atividades não rotineiras, ou de emergência, devendo ser realizada de forma a assegurar abrangência para serem efetuadas as seguintes avaliações:

– Riscos relacionados com a atividade e com consequências no indivíduo, vulgarmente denominados riscos ocupacionais ou profissionais;

– Riscos relacionados com o processo ou com danos para as instalações ou para a empresa.

– Riscos relacionados com fatores humanos

– Riscos relacionados com a atividade da empresa (BIA).

Requisitos Legais e Outros Requisitos

A CIRES assume o compromisso de cumprimento dos requisitos legais, para além dos acordos e outros requisitos que subscreve no âmbito dos aspetos ambientais associados às suas atividades e produtos.

Focalização nas necessidades e expectativas das partes interessadas

A CIRES assegura que as necessidades e expectativas das partes interessadas relevantes são determinadas, para se ir ao seu encontro, sendo avaliadas e convertidas em requisitos internos para assegurar a sua satisfação, sempre que for relevante.

Os requisitos das Partes Interessadas considerados como relevantes são incluídos nas obrigações de conformidades para avaliar a sua conformidade, tal como se de requisitos legais se tratassem.