Março 26, 2021

Sobre a CIRES

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA

Com uma moderna unidade fabril situada no pólo químico de Estarreja e ainda com instalações portuárias de receção de matéria prima no Porto de Aveiro, a Companhia Industrial de Resinas Sintéticas, CIRES, Lda. é uma empresa do setor químico pioneira no fabrico de polímeros termoplásticos em Portugal.

Distingue-se pelo elevado padrão de qualidade e nível de desempenho dos produtos fabricados, suportado pelo desenvolvimento tecnológico e um serviço personalizado na assistência técnica a clientes.

A CIRES foi fundada em 1960 tendo como acionistas empresas portuguesas e duas japonesas, o que constituiu o primeiro empreendimento industrial luso-japonês do pós-guerra na Europa.

Em Portugal, no período inicial do desenvolvimento da indústria transformadora de plásticos, a CIRES assumiu-se desde logo como principal alavanca do progressivo crescimento do consumo de PVC, contribuindo para a consolidação e desenvolvimento da atividade da empresa e do setor.

Em 2009, a plena integração da empresa num dos seus acionistas originais, a Shin-Etsu Chemical Co., visou ampliar o potencial de desenvolvimento da CIRES e reforçar o sistema tripolar da Shin-Etsu: Japão, Estados Unidos da América e Europa.

A Shin-Etsu é hoje líder mundial do setor com uma capacidade de fabrico de cerca de 10% do consumo global mundial.

A CIRES consolidou uma posição liderante no mercado ibérico, apresentando uma gama diversificada de polímeros de PVC fabricados pelo processo de suspensão, utilizados em múltiplos setores industriais com relevância no segmento da construção civil. Paralelamente, a CIRES, oferece também uma gama de especialidades com propriedades diferenciadoras, nas quais se inclui um portfólio de produtos de PVC do processo de emulsão para plastisóis, em especial para aplicações em revestimentos, designadamente no setor automóvel.

A oferta de especialidades de matérias-primas termoplásticas é completada através das suas associadas na área dos compostos de PVC e outros termoplásticos, designadamente a PREVINIL sediada em Alverca-Portugal e a CYGSA, sediada em Mendávia-Espanha.

Estas empresas consolidam e são tronco comum da estratégia de desenvolvimento da CIRES, contribuindo para o desenvolvimento dos mercados de aplicações de PVC e assegurando a presença em praticamente todos os segmentos de aplicação de termoplásticos.

No plano social, destaca-se igualmente a política de recursos humanos da CIRES.

Com quadros técnicos especializados, a CIRES confere particular atenção à motivação e satisfação dos seus trabalhadores, proporcionando as condições de trabalho adequadas e a formação necessária para o pleno desenvolvimento do seu potencial.

TECNOLOGIAS DE FABRICO

A matéria-prima, cloreto de vinilo (VCM), usado como monómero, é produzida na fábrica da SHIN-ETSU PVC B.V. na Holanda e recebida no Porto de Aveiro em instalações portuárias próprias de receção e armazenagem, por onde é transferida através de uma conduta (pipeline) para a fábrica em Estarreja.

De forma transversal a todo o processo fabril, as preocupações com a sustentabilidade de toda a operação estão bem patentes no investimento que tem vindo a ser realizado na redução do consumo de recursos, como a energia e a água, minimização de todas as fontes de emissões e contínuo aperfeiçoamento dos sistemas e procedimentos que garantam uma operação com elevados padrões de segurança.

A constante atualização das suas instalações industriais permite manter a unidade como uma das mais modernas e competitivas da Europa, proporcionando elevados níveis de competitividade, fiabilidade e constância de qualidade nos seus fabricos.

Apetrechada com a mais recente tecnologia, possui um elevado nível de segurança das operações e um superior desempenho ambiental e energético em todas as fases do seu processo.

Ainda neste âmbito, destaca-se a sua instalação de cogeração de energia elétrica e vapor, com uma excelente eficiência global, que constitui uma referência no setor.

 

APLICAÇÕES DO PVC

O PVC é um dos polímeros termoplásticos mais utilizado no mundo no fabrico de materiais e de produtos essenciais ao desenvolvimento humano:

Tubagens para líquidos, painéis e perfis de portadas e janelas, proteção de cabos elétricos, telas de impermeabilização e isolamento, fabrico de couro sintético, papéis de parede, embalagens blister, para a indústria alimentar e farmacêutica, sacos flexíveis para armazenagem de sangue e outros produtos hospitalares, bóias de pesca, brinquedos, alcatifa vinílica, componentes para a indústria automóvel, entre muitos outros.

As principais aplicações destinam-se ao setor da construção que absorve mais de 65% da procura mundial.

POUPAR ENERGIA COM O PVC

O PVC, sendo um dos plásticos mais usados, pode ser considerado de “baixo carbono” pois 57% da sua massa é cloro proveniente do sal comum. No seu processo de fabrico consome menos energia primária do que a maioria dos plásticos mais comuns.

Por outro lado, devido ao seu baixo peso, durabilidade, estabilidade e propriedades físicas, a sua utilização permite reduções significativas no consumo de energia.

As canalizações e tubagens em PVC, por exemplo, são extremamente duráveis, tendo um excelente desempenho ao longo do tempo, com perdas mínimas, utilizando cerca de 49% menos energia do que as canalizações em materiais tradicionais.

Também, nas aplicações em janelas (com Certificado Energético A) e telhados ou telas impermeabilizantes, está demonstrado o menor custo de aplicação e manutenção, bem como um maior isolamento térmico e acústico e, assim, maiores níveis de conforto dentro das habitações.

Do seu desempenho como material e da sua reciclabilidade, em constante evolução e melhoria, resulta uma análise de ciclo de vida muito positivo, plenamente integrado no quadro da economia circular e na construção de um futuro sustentável.

CERTIFICAÇÕES e PROGRAMAS DE ATUAÇÃO RESPONSÁVEL

A empresa promoveu o reconhecimento externo dos seus processos de gestão por entidadesindependentes acreditadas em conformidade com normas internacionais.

Detém a Certificação de Qualidade pela ISO 9001 desde 1993, a Certificação Ambiental pela ISO 14001 desde 2002 e a Certificação de Segurança e Saúde Ocupacional pela OHSAS 18001 desde 2008, tendo posteriormente transitado para a certificação pela ISO 45001 em outubro de 2019.

É política da CIRES assumir como sua responsabilidade a redução, prevenção e minimização dos impactes negativos resultantes da laboração.

A CIRES é membro do ECVM – European Council of Vinyl Manufacturers, uma organização que congrega os maiores produtores de PVC da Europa.

Neste âmbito, para além de cumprir as exigências regulatórias das suas atividades, a CIRES subscreveu três programas de grande relevância para a sua atividade:

1- A Carta do ECVM, um compromisso voluntário para reduzir o impacto ambiental e para promover a eco-eficiência do PVC, através da implementação duma série de alterações tecnológicas e da realização de investimentos com vista a melhorar o seu desempenho ambiental;

2 – Operação Clean Sweep®, que consiste num programa internacional para a prevenção da emissão de plástico para o meio ambiente.

A Operação Clean Sweep® visa auxiliar cada elo na cadeia da indústria de plásticos, desde fabricantes, transportadores e processadores de plásticos, a implementar boas práticas de manuseio de materiais plásticos e manutenção das instalações industriais;

3 – O programa VinylPlus, um compromisso voluntário subscrito por toda a fileira europeia do PVC. Ancorado na experiência e nos resultados de 10 anos do anterior programa Vinyl 2010 e nos princípios da Atuação Responsável, o Vinyl Plus pretende identificar os desafios da presente década necessários ao desenvolvimento sustentado dos produtos de base PVC, tendo em consideração toda a cadeia de valor e ciclo de vida do produto.

PROGRAMAS DE COOPERAÇÃO

Os programas de cooperação com as universidades e centros tecnológicos regularmente desenvolvidos, proporcionam um fórum de conhecimento e de progresso tecnológico que constitui um dos pilares da empresa.

A intensidade de inovação nos processos e nos produtos, constitui a principal linha de força da atuação da CIRES, procurando sistematicamente incrementar a sua capacidade de intervenção no processo e no desenvolvimento de produtos, tendo especial preocupação na resposta às necessidades dos seus clientes.

A empresa dispõe de quadros técnicos altamente qualificados, apoiada em instalações piloto e num laboratório equipado com o expoente da tecnologia.

De destacar uma articulação privilegiada e constante com todo o grupo Shin-Etsu em vários domínios tecnológicos, a que acresce a experiência e o conhecimento das empresas de compostos do Grupo CIRES, permitindo desta forma maximizar sinergias e afirmar a superior capacidade técnica da CIRES.

LIGAÇÃO À COMUNIDADE

No desenvolvimento da empresa, destaca-se também o sentido de responsabilidade social e ambiental, conciliando o seu crescimento económico com os princípios do desenvolvimento sustentável e o aprofundamento da ligação à comunidade local, assegurando na região um volume de emprego estável e qualificado, assim como a contratação de bens e serviços locais complementares à sua atividade principal.

Em 1993, a Cires subscreveu o Programa Atuação Responsável®, uma iniciativa mundial voluntária da indústria química, ao abrigo da qual há um compromisso firme para a melhoria contínua da sua atuação em matéria de Segurança, Saúde, Ambiente e Responsabilidade pelo Produto (“Product Stewarship”), respondendo às preocupações legítimas do público e “partes interessadas” neste domínio.

Neste âmbito, a Cires aderiu como membro fundador ao projeto PACOPAR, o Painel Consultivo Comunitário do Programa de Atuação Responsável de Estarreja.

Este organismo foi criado em 2001, por iniciativa das empresas do Complexo Químico de Estarreja, com o objetivo de aplicar os princípios do programa Atuação Responsável® e foi já merecedor de um importante prémio Europeu, pelo seu destaque como bom exemplo de atuação da indústria.

O PACOPAR, que integra hoje os principais representantes das partes interessadas locais, como Organismos Oficiais, Escolas, a Universidade de Aveiro e Associações de Moradores e Ambientalistas, permite adotar uma abordagem conjunta na resposta às preocupações das pessoas e uma maior abertura e aproximação à comunidade.

A nível nacional, a CIRES integra a associação do setor químico, a APQuímica, que lidera o Cluster de Competitividade da Petroquímica, Química Industrial e Refinação e reúne todos os seus associados, entre empresas industriais, PME e start-ups, Universidades,

Centros de I&DT e outras entidades com atividade relevante ao longo da sua cadeia de valor.

Conciliando o crescimento económico, a coesão social e a proteção do ambiente, como fatores convergentes e indissociáveis numa ótica de desenvolvimento sustentado, a CIRES é uma empresa líder, continuamente inovando por forma a atingir os mais elevados índices de desempenho e contribuir para o desenvolvimento do setor.